A ave habita a área isolada das ilhas Diego Ramirez, cerca de 100 km a sudoeste do Cabo Horn, na ponta mais ao sul das Américas.

O rayadito subantarctico (aphrastura subantarctica)

A comunidade cient√≠fica do Chile foi cativada pela descoberta de uma nova esp√©cie de ave end√™mica. √Č o rayadito subantarctico (aphrastura subantarctica), que foi encontrado na √°rea das ilhas Diego Ramirez esta semana.

aphrastura subantarctica

Descoberta de uma nova espécie de ave é muito rara, já que a maioria destes animais já foi estudada e classificada.

A ave descoberta tem algumas distin√ß√Ķes em rela√ß√£o ao skink ou aphrastrura spinicauda comum, comumente encontrado na Patag√īnia.

A nova ave tem uma bico mais longo, cauda mais curta e pesa pelo menos quatro gramas a mais do que sua variação mais conhecida.

Características do Rayadito Sub-Antártico

O Rayadito spinicauda (Aphrastura spinicauda) é uma ave que coexiste ao lado das árvores nas florestas do sul do país, onde pode se alimentar, fazer ninho e se reproduzir. Por outro lado, nas ilhas Diego Ramirez, ao sul do Cabo Horn, o

Rayadito subantártico (Aphrastura subantarctica) teve que evoluir para se adaptar a um ecossistema extremo onde os ventos atingem 100 km/h e onde só há gramíneas altas, sem árvores ou arbustos, ou seja, sem espécies lenhosas.

Como resultado, apresenta diferenças morfológicas em relação à ave listrada tradicional, como um bico mais longo e largo, uma cauda mais curta e um corpo mais robusto.

H√° tamb√©m diferen√ßas comportamentais, pois o escumadeira subant√°rtica nidifica ao n√≠vel do solo e voa a dist√Ęncias mais curtas.

aphrastura subantarctica

Rodrigo V√°squez, bi√≥logo da Universidade do Chile e colaborador do Centro Internacional de Estudos de Mudan√ßa Global e Conserva√ß√£o Biocultural do Cabo Horn (CHIC), assinala que ¬ęas Ilhas Diego Ram√≠rez est√£o a cerca de 100 km ao sul das ilhas mais pr√≥ximas (Cabo Horn), o que tamb√©m indica que est√£o muito isoladas, especialmente considerando que esta ave (Rayadito Subant√°rtico) tem v√īos curtos, portanto n√£o voa por muitos metros e, portanto, n√£o √© migrat√≥ria¬Ľ.

Al√©m das diferen√ßas morfol√≥gicas e comportamentais j√° descritas, ¬ęforam detectadas diferen√ßas gen√©ticas em compara√ß√£o com o Rayadito continental, associadas a marcadores gen√©ticos mitocondriais e autoss√īmicos¬Ľ, disse V√°squez.

A descoberta do Rayadito Sub-Ant√°rtico

Para Ricardo Rozzi, diretor do CHIC, ecologista e acad√™mico da Universidade de Magallanes e da Universidade do Norte do Texas, h√° tr√™s raz√Ķes que fazem da descoberta um marco importante:

¬ęPrimeiro, √© muito estranho e inesperado encontrar uma nova ave; segundo, √© end√™mico para o arquip√©lago Diego Ramirez, recentemente protegido como um parque marinho; e terceiro, em um mundo t√£o convulsionado, aqui est√° um laborat√≥rio natural onde a evolu√ß√£o ainda est√° em curso e a vida n√£o √© destru√≠da, mas continua a diversificar-se¬Ľ, disse o pesquisador.

¬ęEsta descoberta √© relevante porque foi feita gra√ßas √† colabora√ß√£o. N√£o poder√≠amos ter feito isto sem a Marinha chilena, sem seus navios, helic√≥pteros e o pessoal que vive na Ilha Gonzalo. Fala da colabora√ß√£o com a Marinha, com o Minist√©rio da Ci√™ncia, com diferentes universidades nacionais e internacionais.

√Č uma primeira mensagem que pode ser dada do sul, aqui temos uma sentinela da mudan√ßa clim√°tica que funciona gra√ßas √† colabora√ß√£o¬Ľ, disse Rozzi.

Categorías: Aves exóticas

0 comentarios

Deja una respuesta

Marcador de posición del avatar

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *