No contato di√°rio com os avi√°rios, percebi as dificuldades, d√ļvidas e erros na tentativa de reproduzir o pintassilgo em cativeiro.

Por isso pensei em reunir as informa√ß√Ķes, que, quando tenho a oportunidade, tento obter atrav√©s da experi√™ncia de grandes criadores.

Talvez algumas pessoas possam se sentir ofendidas, mas a maior inten√ß√£o √© que em nosso pa√≠s comecemos a buscar a evolu√ß√£o de nossas a√ß√Ķes, para obter o melhor sistema e as melhores t√©cnicas de cria√ß√£o do Pintassilgo.

Reino das aves Pintassilgos 3

Portanto, minha intenção diária é contribuir e desafiar os criadores de pintassilgo a reproduzir o pintassilgo em cativeiro e encontrar geneticamente a maneira de obter espécimes de alta qualidade.

Reprodução em Cativeiro do Pintassilgo

Para este fim, acredito que a melhor contribui√ß√£o que posso dar √© tornar p√ļblicas as t√©cnicas de cria√ß√£o mais bem-sucedidas.

Os procedimentos que lhes apresentarei não foram basicamente desenvolvidos por mim, mas pelos criadores mais experientes do pintassilgos, que os têm aperfeiçoado ao longo dos anos. Em vez de repetir procedimentos inadequados, ou tentar reinventar a roda, vamos usar estes métodos em nosso benefício.

Estou convencido de que precisamos melhorar nossas t√©cnicas para reproduzir cada vez melhor nossos Pintassilgos e, para aqueles de n√≥s que est√£o acostumados a participar de competi√ß√Ķes, obter as qualidades necess√°rias na cria√ß√£o.

No decorrer destas notas, tudo o que lhes trarei ser√° sobre o sistema de reprodu√ß√£o pol√≠gama, onde um √ļnico macho pode ser usado para cobrir v√°rias f√™meas.

Este processo está centrado na gestão e estratégias dirigidas, para que a fêmea faça todo o trabalho, desde a preparação do ninho até a alimentação dos filhotes.

O folclore da criação

Como o Pintassilgo é um pássaro fácil de manusear, e porque tem uma incrível capacidade de adaptação a qualquer ambiente, temos certeza de que podemos realizar a reprodução com o maior sucesso.

Gaiolas reprodutoras

Muitos afirmam ou acreditam que o local ideal para a cria√ß√£o de pintassilgos est√° em uma gaiola. O √ļnico fator que poderia suportar esta t√©cnica seria que a ave sentiria menos estresse do que na gaiola, mas voc√™ ver√° que este n√£o √© o caso.

Reino das aves Pintassilgos 2

Para o sucesso da criação, os fatores mais importantes a serem levados em conta estão associados à higiene e às dificuldades de manuseio. Neste aspecto, a gaiola traz consigo uma série de desvantagens:

  • Ocupa muito espa√ßo
  • √Č dif√≠cil manter a higiene, pois construir uma gaiola com um piso e postes remov√≠veis requer muito trabalho.
  • Dificuldade em identificar problemas de sa√ļde nos criadores.
  • Ap√≥s 13 dias de idade, quando os filhotes deixam o ninho, podem cair para o fundo da gaiola e n√£o conseguir retornar ao ninho.
  • Usar um √ļnico macho para servir v√°rias f√™meas torna a opera√ß√£o mais trabalhosa.
  • etc.

Sabemos que a gaiola não é um bom local para reprodução e, portanto, a qualidade dos pintos não será a mesma.

Alguns mitos sobre os Pintassilgos

¬ęO macho precisa estar pelo menos 5 dias sobre os p√©s da f√™mea para que ela possa p√īr 5 ovos galgados¬Ľ.

Com apenas uma galeada, desde que o macho possa alcan√ßar a cloaca da f√™mea, √© suficiente que todos os ovos associados a essa postura sejam fertilizados (√Č importante verificar se no momento da galeada, o macho estava em uma posi√ß√£o adequada).

A prop√≥sito, descobri recentemente que quando o macho pisa a f√™mea, ele injeta uma grande quantidade de espermatoz√≥ides, que sobreviver√£o alguns dias no √ļtero da f√™mea, e o n√ļmero de √≥vulos ser√° determinado pela quantidade de √≥vulos que a f√™mea √© capaz de gerar nesse per√≠odo;

¬ęN√£o √© necess√°rio dar tanta aten√ß√£o √† dieta do pintassilgo que ele comer√° qualquer coisa¬Ľ.

Sabemos de muitas pessoas que sobrevivem comendo p√£o todos os dias, mas todos sabemos que esta n√£o √© a dieta mais adequada para fortalecer o organismo humano e que todos os nutrientes s√£o necess√°rios para isso. √Č hora de deixar de ser ¬ęalpisteros¬Ľ.

¬ę√Č necess√°rio criar com um macho para ajudar a f√™mea a fazer o ninho e alimentar os filhotes¬Ľ.

Não faria sentido usar as qualidades do macho a ser empregado na construção do ninho.

Se a f√™mea n√£o o fizer, porque ainda n√£o est√° no cio, o macho, em seu desejo de procriar, construir√° o maior n√ļmero poss√≠vel de ninhos at√© que chegue o momento em que a f√™mea se deite.

Reino das aves Pintassilgos 1

A ornitologia já provou que um fator importante para estimular o sexo feminino é o canto do macho, e sabemos que o macho canta mais quando está sozinho em sua gaiola.

Por outro lado, quando o casal está junto durante o período de reprodução, é comum que o macho interrompa o comportamento da fêmea, impedindo-a de permanecer no ninho pelo tempo que ela precisar, fazendo com que ela deixe o ninho cedo, incluindo os ovos que estão eclodindo, ou mesmo impedindo a alimentação dos pintos. Ele faz isso a fim de pisar na fêmea novamente.

Se isto acontecer, e a fêmea for novamente pisoteada pelo macho, mesmo que ele consiga tirar a primeira ninhada, antes que os filhotes comam sozinhos, a fêmea já poderá fazer uma segunda postura, cuidando dos filhotes, que ainda dependem dela, somente quando ela sair para se alimentar ou tomar banho.

Isto certamente comprometer√° seriamente o desenvolvimento destes filhotes;

¬ęO ninho do Hornero ou um tronco perfurado √© excelente para estimular a cria√ß√£o do Pintassilgo¬Ľ.

O melhor ninho é o ninho de caixa, com dois compartimentos, pois permitirá um manejo adequado dia após dia e, quando os filhotes não querem mais estar no ninho (cerca de 13 dias), há um espaço intermediário (a entrada) onde eles podem ficar por alguns dias, de onde podem observar a mãe, e quando estão com fome, eles vêm até o buraco de entrada e pedem comida;

¬ęPara construir o ninho, prefiro fornecer ra√≠zes lavadas, p√™los de folhas de palmeira, crina de cavalo, etc.¬Ľ.

Para evitar acidentes desnecessários, foi provado que o uso de fios de hessian é o mais adequado, pois não há risco de que a ave torça as pernas dos próprios filhotes.

Preparação para a criação do passaro Pintassilgo

Pinzones

Período de muda

Por mais estranho que possa parecer, o momento mais apropriado para começar a preparar um rebanho reprodutor é o período de muda.

Sabemos que na temporada de agosto a abril, para ter uma ave ardente e animada, com seu melhor desempenho, √© importante que ela tenha tido uma muda completa, sem interrup√ß√Ķes, para que n√£o termine este processo com um organismo enfraquecido.

√Č um grande erro tomar este per√≠odo como um per√≠odo de descanso para o criador, justamente quando a ave precisa de muito mais aten√ß√£o. A muda n√£o deve ser considerada uma doen√ßa, ela representa uma grande tens√£o para o organismo da ave.

Portanto:

  • Devemos assegurar a tranquilidade total da ave, evitando sustos desnecess√°rios ou excita√ß√£o.
  • Evite varia√ß√Ķes bruscas de temperatura.
  • Uma dieta variada com abund√Ęncia de vitaminas.
  • P√īr √°gua limpa para o banho todos os dias, deixando a ave decidir quando quer tomar banho.
  • Nesta √©poca do ano, o risco de epidemias de piolhos e √°caros aumenta, pondo em risco a sa√ļde de nossas aves. Uma medida preventiva a ser usada √© a de colocar ¬ęsal de banho¬Ľ na √°gua.
  • Outra desordem s√£o os √°caros no trato respirat√≥rio, obstruindo as narinas da ave, fazendo com que ela respire apenas atrav√©s de seu bico e n√£o seja capaz de cantar.

Além disso, uma vez que a muda esteja completa e a nova plumagem esteja ligada, alguns sintomas de febre podem ocorrer por 2 ou 3 semanas.

Reino das aves Pintassilgos de fundo escuro Uma vez terminada esta fase, chegou o momento de começar a se preparar para a criação. Os quase 2 meses de descanso, mais uma dieta mais rica em nutrientes, terão deixado a ave mais gorda do que de costume e fisicamente fora de forma.

Portanto, √© aconselh√°vel coloc√°-las em gaiolas voadoras por 3 ou 4 semanas para finalmente ter um p√°ssaro em √≥timas condi√ß√Ķes para a pr√≥xima esta√ß√£o.

Este recondicionamento físico é importante para que o macho recupere toda a capacidade de seus sacos aéreos, tanto para cantar como para pisar na fêmea.

Tamb√©m √© importante para a f√™mea, pois revigora seu t√īnus muscular e isto a impedir√° de ficar com qualquer ovo preso na √°rea do oviduto.

Nesta fase final da recuperação da ave, devemos administrar um vermífugo (1ª dose) por um período de três (3) dias consecutivos, descansar por duas (2) semanas e depois administrá-lo novamente (2ª dose) por três (3) dias consecutivos.

Livre de germes, podemos iniciar a administra√ß√£o de vitaminas, pois o organismo da ave as absorver√° melhor se estiver em boas condi√ß√Ķes.

Nos intervalos entre doses, é aconselhável realizar um tratamento preventivo para as doenças parasitárias mais comuns, como a coccidiose ou salmonelose.

No final desta fase, todos os esp√©cimes estar√£o em plena sa√ļde e em boas condi√ß√Ķes f√≠sicas para iniciar a reprodu√ß√£o.

Preparação da gaiola de criação

A gaiola ideal a ser usada para reprodução é feita inteiramente de arame, com um comprimento mínimo de sessenta (60) cm e contendo:

  • Six (6) alimentadores externos
  • Rede separadora no meio
  • Piso em dois n√≠veis com uma grade e uma bandeja
  • Pelo menos uma porta na frente e a porta para colocar a caixa de nidifica√ß√£o.
  • Baixa porta para introduzir a banheira<<
  • Porta lateral para introduzir ou remover o macho.

As caixas de ninho devem ter dois (2) compartimentos, com dimens√Ķes de pelo menos 25 cm de comprimento e 12 cm de altura.

Reino das aves Pintassilgos Maior Esta caixa deve ser colocada na parte externa da gaiola, pois deixar√° mais espa√ßo dentro da gaiola e facilitar√° as verifica√ß√Ķes necess√°rias no dia-a-dia.

Se você já possui este tipo de gaiola, limpe-a completamente para remover toda a sujeira e garantir uma higiene adequada. Mergulhar a gaiola em água sanitária por alguns minutos para garantir que quaisquer parasitas e bactérias presentes sejam eliminados. O mesmo deve ser feito com os poleiros.

Usando p√≥ de talco para repelir piolhos, aplique na caixa do ninho, na √°rea onde a f√™mea vai construir a ¬ęcama¬Ľ. Coloque tamb√©m alguns fios para induzir a f√™mea onde ela deve construir o ninho.

Também pode acontecer que a fêmea comece a construção no compartimento de entrada da caixa, neste caso, antes de terminá-la, tente movê-la para a posição correta, o que ela eventualmente aceitará.

Ao definir a posição dos poleiros, considere o seguinte:

  • Ser√° apropriado colocar um poleiro posicionado de modo a facilitar a entrada e sa√≠da do ninho.
  • Apontar para espa√ß√°-los de modo que o banho esteja a salvo de excrementos.

Tenha o dobro dos poleiros à mão, de modo que a cada quinze dias você possa removê-los e limpá-los.

Material de cama para o ninho

O material ideal, que não causará nenhum inconveniente, é o cordel hessian.

Tente comprar (no caso de sacos usados) sacos que não tenham sido usados para agroquímicos. Ferva o saco por pelo menos meia hora e deixe-o secar. Uma vez seco, cortar quadrados de 10 ou 15 cm, desenrolar e estocar a gaiola.

Coloque bastante, e quando você vir a fêmea começar a carregá-las para o ninho, não pare de reabastecer até ter certeza de que a construção está completa. Este processo leva de 3 a 4 dias.

Vale a pena mencionar aqui alguns pontos extremamente importantes:

  • O fato de ter sido criado em um ambiente de reprodu√ß√£o n√£o implica que a f√™mea come√ßar√° imediatamente a construir o ninho, pode demorar at√© 2 meses.

Neste ponto, o criador induzir√° este processo:

  • Eliminando as sementes e fornecendo ra√ß√Ķes de pasta de ovo puro. al√©m dos complexos vitam√≠nicos di√°rios, a vitamina ¬ęE¬Ľ deve ser adicionada √† √°gua pot√°vel.
  • Esta mudan√ßa na alimenta√ß√£o, que desencadear√° as altera√ß√Ķes hormonais necess√°rias, associadas ao canto do macho, estimular√° a f√™mea a querer reproduzir-se.
  • Destas condi√ß√Ķes, n√£o √© aconselh√°vel que a f√™mea veja o macho.
  • A jaula da f√™mea pode estar pr√≥xima √† do macho, mas eles n√£o podem se ver um ao outro.
  • Quando a f√™mea entra em cio, ela come√ßar√° a carregar os fios para o ninho, desencadeando o processo de reprodu√ß√£o, e a partir da√≠, ela permanecer√° procriando at√© o final da esta√ß√£o.

Colocação e incubação

O macho pisando na fêmea

Um dia depois de ter percebido que a fêmea terminou o ninho, você lhe mostrará o macho e observará como ela desce em busca dele.

Reino das aves Pintassilgos Americano Coloque a gaiola da fêmea em um lugar plano (uma mesa), ajuste a gaiola do macho para o lado e abra as travas para permitir que as aves se encontrem. Afaste-se da gaiola e você verá imediatamente a tentativa masculina de pisar na fêmea.

√Č importante que o local onde a gaiola deve ser posicionada esteja preparado para que n√£o ocorram eventos que possam desviar a aten√ß√£o das aves:

  • Pessoas ou animais de passagem
  • Outras aves √† vista dos p√°ssaros;
  • Superf√≠cies espelhadas perto da grua.
  • Ru√≠dos de que as aves n√£o est√£o acostumadas a ouvir.

Geralmente, as primeiras vezes este procedimento não levará mais que 10 minutos, com uma tendência a reduzir este tempo. Uma vez que o macho tenha pisado na fêmea, não considero mais apropriado deixar o macho visitando a gaiola da fêmea, pois ele terá uma tendência natural de ir ao ninho e tentar interferir com o que a fêmea já concluiu.

Lembre-se que uma √ļnica raquete √© suficiente para definir uma postura inteira.

Para o macho, não é apropriado que ele faça mais de três galeras por dia. Se devem ser imediatamente um após o outro dependerá da condição física em que se encontra naquele dia e do fator da idade da ave (quanto mais nova a ave, maior o vigor).

A postura

Um dia ap√≥s ter sido pisada, a f√™mea come√ßa a deitar. O n√ļmero de ovos pode variar de 4 a 6 (a condi√ß√£o f√≠sica da f√™mea ser√° decisiva a esse respeito).

Nesta fase é importante que não lhe falte casca e casca de ovo moída (ambas muito ricas em cálcio), o que contribuirá para a formação da casca de ovo. Você verá que, nesta fase, há um aumento do consumo por parte da mulher.

Para garantir a paz de espírito nesta fase, você já deveria ter definido a posição em que a gaiola será mantida, levando em conta o seguinte:

  • Evite o contato visual com outros Pintassilgos (machos ou f√™meas).
  • A gaiola deve ser localizada em um local que facilite a manuten√ß√£o di√°ria (troca de √°gua, alimentos, limpeza, verifica√ß√£o do ninho, etc.).
  • Procure para manter a gaiola no local, sem mov√™-la, desde o in√≠cio da postura at√© que a f√™mea termine de cuidar dos pintos.

Incubação

Durante esta fase, a fêmea permanecerá deitada sobre os ovos o tempo todo, tentando mantê-los aquecidos. Ela sairá 2 ou 3 vezes ao dia para se alimentar ou tomar um banho.

Durante este período, não é necessário deixar os potes de comida e água na gaiola.

Com relação ao banho, alguns afirmam que não é apropriado para a fêmea tomar banho quando ela está incubando. Isto é contradito pelos principais ornitólogos, com os quais falei, que o recomendam fortemente.

Eclos√£o dos filhotes do pintassilgos

No período de eclosão, a fêmea tentará posicionar sua orelha muito perto dos ovos e quando os filhotes do pintassilgos começarem a mordiscar o ovo para eclodir, ela terminará de limpá-los. Isto pode ser notado, pois os restos das cascas de ovos eclodidos não estão presentes no ninho.

Reino das aves Pintassilgos morado Obviamente é necessário mudar os alimentos disponíveis na gaiola. No primeiro mês, o pintinho atingirá o tamanho adulto. Nesta fase, o consumo de alimentos torna-se maior e será importante complementar a ração normal com uma boa fonte de proteína.

Por uma quest√£o de praticidade, recomendo uma pasta de ovos desidratados de marca superior. Com esta pasta tenho certeza de que estarei alimentando uma dieta com todas as vitaminas e nutrientes necess√°rios para os pintos e livre de microorganismos potencialmente prejudiciais, que podem causar a morte dos pintos.

Se você optar por dar esta pasta, certifique-se de dar o suficiente da quantidade certa, sem exagerar, para evitar problemas futuros de obesidade nas aves.

Também é bom fornecer frutas e vegetais frescos.

N√£o se esque√ßa da import√Ęncia de tocar os filhotes entre o 6¬ļ e 8¬ļ dia de nascimento para evitar grandes dificuldades com o anel n√ļmero 3 que corresponde ao Pintassilgo.

Com cerca de 20 dias, os filhotes não retornam mais ao ninho, o que permite que a caixa seja removida para limpeza. 30 dias após o primeiro nascimento, quase todos eles começam a comer por conta própria.

Portanto, coloque a grade divisória que os separa da mãe, colocando comida e seu próprio banho para eles, porque mesmo aqueles que ainda dependem da mãe para a comida poderão fazê-lo através da grade divisória.

Com a mãe separada, a caixa do ninho e as roscas podem ser reposicionadas para a montagem. Quando o ninho estiver pronto, coloque o macho para o galo, e o processo de criação recomeça.

Com 40 a 45 dias de idade, transferir os filhotes para uma gaiola voadora, onde eles podem permanecer por até 6 meses. Para evitar ambientes estressantes nas gaiolas de 1m a 1,2m, tente não colocar mais de 12 pintinhos juntos.


0 comentarios

Deja una respuesta

Marcador de posición del avatar

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.